O Culto ao Corpo – A Antropologia Teológica e A Cultura Fitness

R$31,90

ISBN 9788592509330

100 p.

Para obter o chamado “corpo fisicamente perfeito”, as pessoas submetem-se a diversos tipos de recursos que vão desde cremes antienvelhecimento até cirurgias estéticas, sendo algumas delas semelhantes a sessões de carnificina. Dentre todo esse emaranhado estético, o exercício físico, mais precisamente a musculação, parecendo não oferecer riscos ao ser humano devido aos benefícios à saúde, legitimado por profissionais da área médica e esportiva, acaba tornando-se uma “via de mão dupla” quando o mesmo perde a sua finalidade primária (saúde) para obter a sua finalidade secundária (estética). É nesse estágio estético que a prática da musculação torna-se preocupante, pois, na tentativa de obter o “corpo fisicamente perfeito” os e as patricantes de musculação, muito provavelmente, podem adquirir transtornos psicológicos graves, entre eles a vigorexia e a dismorfia muscular, ficando reféns de si mesmos/as ao ponto de prestarem culto ao seu próprio corpo.